Rais 2015

O setor de arquitetura e engenharia consultiva (A&EC) fechou 2014 com estoque de 295.856 trabalhadores e, pela primeira vez, registrou uma diminuição no número de profissionais empregados no setor.

O setor de arquitetura e engenharia consultiva (A&EC) fechou 2014 com estoque de 295.856 trabalhadores e, pela primeira vez registrou uma diminuição no número de profissionais empregados no setor de 7,78%, em relação ao estudo realizado em 2013. O ano de 2014 foi marcado pela diminuição deste estoque, confirmando a perda de dinamismo no setor da A&EC e aumento do desemprego oriundos da situação econômica do país. As perspectivas negativas já vislumbradas em 2014, mas adiadas nos canteiros, afetaram antecipadamente o setor de arquitetura e engenharia consultiva, que depois de vários anos de crescimento contínuo no contingente de empregados sofreu uma brusca queda.

Os dados constam no documento O mercado de trabalho no setor de A&EC (RAIS), elaborado pelo departamento de Estudos Econômicos do Sinaenco. A análise tem como base a RAIS – Relação Anual de Informações Sociais, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Porte das empresas

As empresas com 100 a 249 vínculos ativos são responsáveis por concentrar 48.420 profissionais e possuem uma participação de 16,37% no estoque nacional. Empresas com 20 a 49 vínculos ativos: mantêm a segunda maior participação, com um índice de 14,12% e 41.781 profissionais trabalhando em regime celetista, este grupo também registrou retração de 4,64% em relação à 2013. Empresas com 1000 ou mais vínculos ativos: 40.888 profissionais e um percentual de 13,82% no estoque nacional.

Escolaridade dos empregados

Dos profissionais empregados no setor da arquitetura e engenharia 45,88% possuem o ensino médio completo. Segundo dados da RAIS, profissionais sem nível superior representam 70,36% dos empregados e os que possuem nível superior incompleto à doutorado, totalizam os 29,64% restantes, reforçando o aumento do nível de escolaridade dos profissionais empregados no setor que era de 27,78%, em 2013.

Escolaridade x renda

Em 2014, a remuneração média nominal dos profissionais celetista empregados no setor fechou em R$ 3.035,33, revelando uma elevação de 8,06% quando comparada à 2013. O maior percentual de variação da remuneração entre os anos de 2014 e 2013, foi obtida pelos profissionais com doutorado que registraram uma ampliação de 19,31%. O que se constata pelas tabelas anteriores é que houve uma melhoria da escolaridade e, principalmente da remuneração dos profissionais empregados no setor da A&EC, mas mesmo como estes avanços não há um visível aumento da produtividade seja do setor ora analisado ou da economia como um todo.