Nova lei de licitações tem pontos que facilitam corrupção, dizem entidades

Em entrevista à coluna Mercado Aberto (do jornal Folha de S. Paulo), o presidente do Sinaenco, Carlos Roberto S. Mingione, falou sobre pontos que considera críticos no projeto da nova lei de licitações públicas.

A proposta foi aprovada esta semana em comissão especial da Câmara e aguarda agora votação no plenário.

Segundo Mingione, um dos aspectos que pode facilitar o direcionamento a empresas específicas é o prazo de 60 dias para apresentação de propostas quando a companhia é responsável pelo projeto básico e executivo. “Uma empresa maior tem como contratar um grupo de projetistas, mas a menor, não.”

Acesse a íntegra aqui da reportagem, publicada em 7 de dezembro.