Reformar para Mudar recebe secretário Rogério Marinho

O secretário Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho participou em 4 de abril, no Instituto de Engenharia, de encontro da Frente Reformar para Mudar. O grupo congrega 26 entidades empresariais, incluindo o Sinaenco.

Marinho se apresentou otimista com a aprovação da Reforma da Previdência pelo Congresso. “A população começou a entender que visão de país está em jogo”. Ele ainda comparou os atuais gastos com Previdência com as despesas com o sistema educacional. “O governo gasta dez vezes mais com aposentadoria do que com educação”. Para exemplificar sua fala, o secretário repetiu a afirmação feita na véspera pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na Câmara dos Deputados: “Em 2018, foram gastos R$ 700 bilhões com a Previdência, que é o nosso passado, e gastamos R$ 70 bilhões com educação, que é o futuro. Gastamos dez vezes mais com a Previdência que com o futuro”.

Antes de a população brasileira envelhecer, o atual sistema previdenciário já está condenado, prosseguiu o secretário. “Não interessa quem estiver no poder, independentemente de quem esteja no governo, o problema permanece o mesmo”, destacou.

Durante o encontro, Erica Marques Mendonça, analista de Projetos do Departamento de Economia, Competitividade e Tecnologia da Fiesp, expôs um material produzido pela entidade com o tema “Porque a Reforma da Previdência é Necessária?  Entre os pontos, o desequilíbrio fiscal com gastos elevados e crescentes, a perspectiva de vida, Brasil: um país de jovens com gastos previdenciários elevados.

Fontes: Secovi e IE

Reformar para Mudar

A Frente Reformar para Mudar foi formada em 2017 e tem como objetivo contribuir com propostas sobre assuntos de interesse nacional.

As entidades participantes são:  Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo); Abifer (Associação Brasileira da Indústria Ferroviária); Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias); Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers); Abristal (Associação Brasileira pela Conformidade e Eficiência das Instalações); Abrasip (Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais) ACSP (Associação Comercial de São Paulo); ADIT Brasil (Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil); ADVB (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil); Aelo (Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano);Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping); Apeop (Associação Paulista de Empresários de Obras Públicas); ASBEA (Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura);Brasinfra (Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações de Classe de Infraestrutura); CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção); Cofeci-Creci (Conselho Federal dos Corretores de Imóveis); Deconcic/Fiesp (Departamento da Indústria da Construção da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo); Fiabci-Brasil (Federação Internacional Imobiliária); IE (Instituto de Engenharia); Sciesp (Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo); Secovi-SP (Sindicato da Habitação); Sinaenco (Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva); SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo); Sinicesp (Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de São Paulo); e Sobratema (Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração); SRB (Sociedade Rural Brasileira).